Moção/Saudação «Movimento Associativo Almadense»

Em mais de quatro décadas de Poder Local Democrático, a ligação do Município de Almada ao Movimento Associativo Popular assumiu um papel decisivo na promoção da coesão social e do desenvolvimento do Concelho. Sem o estabelecimento desta relação de trabalho conjunto, teria sido muito mais difícil atingir o nível de progresso e desenvolvimento associativo, cultural e social alcançados em Almada.

Na área desportiva e cultural, sobretudo, o Município e o Movimento Associativo local empenharam-se no apoio a múltiplos projetos de desenvolvimento, apostando sistematicamente na formação como resposta às necessidades e legítimas aspirações das populações ao progresso da sua terra.

Resultado desse trabalho desenvolvido pelas autarquias e, movimento associativo, emergiram muitas referências de enorme qualidade, que dignificam Almada e o País, tendo sempre como raiz o pilar associativo, o seu movimento e os seus dirigentes voluntários.

Assente nos valores progressistas, a assunção de desafios faz parte da genética almadense, constituída pela afirmação do trabalho coletivo e envolvimento dos dirigentes, sócios, atletas, famílias, técnicos, treinadores, professores e população em geral como consolidação de fazer de Almada um concelho de referência ao nível da qualidade de vida e do progresso social, económico e cultural.

O ano 2018 fica marcado por um retrocesso nas relações entre o Município e. Movimento Associativo, fruto de alterações ao nível das opções do Município a este nível.

São inúmeras as expressões de afirmação da existência de uma inexplicável desconfiança na relação entre o executivo municipal e o movimento associativo, uma realidade contrária a um caminho de parceria, que vem causando natural apreensão por parte das estruturas do concelho, que em muitos casos não obtiveram correspondência no acompanhamento dos seus projetos conforme seria expectável, na linha do meritório trabalho por si desenvolvido nas mais diversas áreas de intervenção.

É do conhecimento público a opção da atual maioria do Partido Socialista na Câmara Municipal pela introdução de uma política de cortes ao apoio ao movimento associativo, expressa em constrangimentos sentidos pelos clubes, associações e coletividades que prestam serviço às populações ao nível da formação cultural e desportiva; na demora na transferência de verbas quando o apoio se efetiva; na ausência de celebração de protocolos de colaboração e/ou contratos-programa; na falta de apoio ao investimento na requalificação das infraestruturas de apoio, todos eles aspetos fundamentais para a vida e atividades das estruturas do Movimento Associativo Almadense.

O desconforto dos dirigentes associativos, sócios, técnicos, atletas e famílias agrava-se a cada ausência de resposta no acompanhamento da atividade regular desenvolvida pelo movimento associativo, sendo possível identificar mesmo um sentimento de profundo desencanto e desilusão, pela perceção de que o atual executivo municipal opta por não valorizar a importância deste parceiro local, firmado na história recente de Almada que confirma o Movimento Associativo como elo de fortalecimento da ação coletiva.

Assim, a Assembleia Municipal de Almada, reunida em Sessão Ordinária nos dias 28, 29 e 30 de novembro de 2018, delibera:

1. Saudar o Movimento Associativo pelo seu empenho nas áreas culturais e desportivas como fator de coesão social pelos múltiplos projetos de desenvolvidos.

2. Reiterar a necessidade de valorização do trabalho de parceria entre as estruturas associativas de Almada e o município, num esforço coerente de afirmação do progresso e do bem-estar das populações.

3. Reiterar a confiança no Movimento Associativo enquanto parceiro decisivo, pela sua participação democrática ativa, na consolidação do desenvolvimento do Concelho de Almada.

4. Sublinhar e enaltecer a importância do envolvimento dos dirigentes, sócios, atletas, técnicos, agentes desportivos e culturais das Coletividades pelo seu esforço e trabalho na afirmação de Almada enquanto referência no panorama associativo nacional.

5. Expressar preocupação pela opção do atual executivo municipal em proceder a cortes no financiamento e apoio à atividade desenvolvida pelo movimento associativo, bem como relativamente a outros procedimentos que se traduzem no adiamento de transferência dos montantes quando os apoios se efetivam.

Laranjeiro, 28 de novembro de 2018
Os Deputados Municipais CDU

Resultados da votação:
Votada por pontos